Ir para conteúdo

Um caso recuperável

Em ano de vestibular, Capitães da Areia, obra de Jorge Amado, é um dos livros obrigatórios. Narra a história de meninos de rua que, ao invés de representarem simplesmente meninos delinquentes, Jorge Amado os coloca como heróis malandros, cheios de defeitos e qualidades que o humanizam. Com isso, descobri a história real de Roberto Carlos Ramos, que mais parece um personagem de Capitães da Areia. Como é uma história digna de um conto, resolvi escrevê-lo.

 Conto: Um caso recuperável

Soube da história de Roberto Carlos Ramos através de algumas entrevistas e um texto escrito por ele em que é citada a difícil infância que vivenciou, no livro O Pequeno Príncipe me disse. Além disso, é sobre o Roberto que o filme O Contador de histórias se trata. Mas escrevi meu conto apenas juntando alguns relatos das entrevistas e do texto. Espero que gostem =)

Marina Franconeti Ver tudo

Escritora e mestranda na USP em Filosofia, na área de Estética, pesquisando Manet e o feminino. Ama pintar aquarelas, descobrir a magia oculta nas tintas e na prosa do mundo.

3 comentários em “Um caso recuperável Deixe um comentário

  1. A pedagoga francesa foi um anjo que apareceu na vida dele. Pena que isso não acontece com todos os meninos de rua. Quanta sensibilidade você tem!

    Curtir

Deixe uma resposta para RosanaCancelar Resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Momentum Saga

A palavra escrita brilha como uma janela acesa no caos. E, então, ela alça voo e dança no ar.

Aline Valek

Blog da escritora

na cabeceira

A palavra escrita brilha como uma janela acesa no caos. E, então, ela alça voo e dança no ar.

Querido Clássico

A palavra escrita brilha como uma janela acesa no caos. E, então, ela alça voo e dança no ar.

Fright Like a Girl

A palavra escrita brilha como uma janela acesa no caos. E, então, ela alça voo e dança no ar.

Cine Varda

duas amigas apaixonadas por cinema, escrevendo sobre mulheres

Cinema na Varanda

Podcast semanal com Chico Fireman, Michel Simões e Tiago Faria

Artrianon

Arte e cultura

Rainhas Trágicas

Mulheres notáveis que fizeram História

Sopa de Letras

Literatura e outros

Antimidia Blog

Textos sem sentido, para leituras sem atenção, direcionados às pessoas sem nada para fazer.

sigoescrevendo

Um manifesto de palavras sob a regência de cada momento.

Portal de Crônicas

Cá entre nós

1001 Scribbles

Random and Abstract Lines

WordPress.com

WordPress.com is the best place for your personal blog or business site.

%d blogueiros gostam disto: