Ir para conteúdo

A música de Ólafur Arnalds em Tiny Desk (Home) Concerts

O projeto Tiny Desk Concerts é um dos lugares mais adoráveis da internet. Convidando uma variedade de artistas, o projeto conta com versões acústicas de artistas e musicistas do pop, do rock, da música clássica, do cenário indie. Nesse contexto de quarentena, o trabalho continuou e a pequenina mesa de escritório, onde ocorrem esses shows sem grandes produções, se tornou a mesa de casa, virando Tiny Desk (Home) Concerts.

O mais recente a se apresentar foi o artista islandês Ólafur Arnalds, multi-instrumentalista de mão cheia. Conheci seu trabalho a partir da trilha sonora do seriado britânico Broadchurch, com destaque para So close e So Far, e desde então seus álbuns são sempre um ótimo e tranquilo refúgio. Misturando piano, violino, batidas, loops, seus trabalhos pendem entre o tradicional e o contemporâneo, com notas introspectivas, outras mais doces e delicadas. Perfeito refúgio nessa solidão de quarentena.

No Tiny Desk (Home) Concerts, Ólafur toca piano na companhia de seu quarteto de cordas, executando três faixas de seu álbum feito em 2020, Some kind of peace. Happiness Does Not Wait inicia o concerto, com Ólafur Arnalds sentado em um pequeno piano conhecido como ‘pianette’ dinamarquesa. Na sequência, de acordo com o site do projeto, Ólafur usa um fonógrafo de cilindro Edison “Fireside” e seu próprio software de música Stratus, uma mistura de sons e transição.

De acordo com a descrição do site, o cilindro de cera Edison na música Woven Song traz uma canção tradicional de cura da Amazônia cantada pela falecida xamã Herlinda Agustin Fernandez. Em Spiral, logo no fundo há um piano tocando aparentemente sem um intérprete. Esse piano está reagindo à performance em tempo real de Ólafur Arnalds usando algoritmos que ele e seu amigo codificador, Halldór Eldjárn, desenvolveram. E termina com We Contain Multitudes. Um belo encontro entre música, matemática e tecnologia.

O concerto foi filmado em seu estúdio arborizado em Reykjavík, Islândia, o antigo estúdio de Sigur Rós.

SET LIST

  • “Happiness Does Not Wait”
  • “Woven Song”
  • “Spiral”
  • “We Contain Multitudes”

Alguns trechos foram traduzidos do site oficial do projeto.

Mais indicações

No Sunrise session, Ólafur apresenta as mesmas músicas, gravado no solstício de inverno:

No Spotify, destaque para os álbuns:

Island Songs

The Chopin Project

For Now I Am Winter

Broadchurch (série)

Marina Franconeti Ver tudo

Escritora e mestranda na USP em Filosofia, na área de Estética, pesquisando Manet e o feminino. Ama pintar aquarelas, descobrir a magia oculta nas tintas e na prosa do mundo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Caderno Jota

O cinema, a vida e tudo o mais

um velho mundo

A palavra escrita brilha como uma janela acesa no caos. E, então, ela alça voo e dança no ar.

Limonada

A palavra escrita brilha como uma janela acesa no caos. E, então, ela alça voo e dança no ar.

Momentum Saga

A palavra escrita brilha como uma janela acesa no caos. E, então, ela alça voo e dança no ar.

Aline Valek

Blog da escritora

na cabeceira

A palavra escrita brilha como uma janela acesa no caos. E, então, ela alça voo e dança no ar.

Querido Clássico

A palavra escrita brilha como uma janela acesa no caos. E, então, ela alça voo e dança no ar.

Fright Like a Girl

A palavra escrita brilha como uma janela acesa no caos. E, então, ela alça voo e dança no ar.

Cine Varda

duas amigas apaixonadas por cinema, escrevendo sobre mulheres

Cinema na Varanda

Podcast semanal com Chico Fireman, Michel Simões e Tiago Faria

Artrianon

Arte e cultura

Rainhas Trágicas

Mulheres notáveis que fizeram História

Sopa de Letras

Literatura e outros

Antimidia Blog

Textos sem sentido, para leituras sem atenção, direcionados às pessoas sem nada para fazer.

sigoescrevendo

Um manifesto de palavras sob a regência de cada momento.

%d blogueiros gostam disto: